Para a população: salário mínimo. Para os bancos: lucros bilionários.

05/11/2009


Quem acompanhou a crise no ano passado, deve se lembrar das quebras das instituições bancárias, a começar pelo Lehman Brothers. Mas, ao contrário do que parece, a maioria dos bancos continua a apresentar lucros líquidos na casa dos bilhões.

O Itaú-Unibanco, por exemplo. Apesar de ter demitido cerca de 6000 funcionários e extinguido 1100 funções, apresentou um lucro líquido de R$ 6,85 bilhões, de janeiro a setembro deste ano. Lucro líquido quer dizer: após pagar todos os salários, impostos, juros e rendimentos.

O Bradesco, um pouco mais “modesto”, apresentou um lucro líquido de R$ 5,83 bilhões no mesmo período. Sendo que seu valor de mercado no final de setembro totalizou R$ 98,751 bilhões.

Para quem não sabe, com menos de 50% do que arrecadam com as taxas, os bancos pagam todos os salários de seus funcionários. Ou seja, todas as remunerações poderiam ser dobradas e ainda haveria lucros desta magnitude.