A Selic permanece como a quinta taxa de juro real mais alta do mundo

21/10/2009



Foi a segunda reunião consecutiva que manteve a taxa básica de juros em 8,75%. Antes, o Comitê tinha cortado o juro por cinco vezes seguidas, em uma tardia reação ao ambiente criado pela crise mundial. O órgão soltou uma nota suscinta:

"Levando em conta, por um lado, a flexibilização da política monetária desde janeiro, e por outro, a margem de ociosidade dos fatores, o Comitê avalia que esse patamar de taxa básica de juros é consistente com um cenário inflacionário benígno, contribuindo para assegurar a manutenção da inflação na trajetória de metas ao longo do horizonte relevante e para a recuperação não inflacionária da atividade economica."

Com a manutenção da taxa em 8,75% ao ano, a Selic continua no menor patamar nominal em sua história. Porém o juro real brasileiro permanece como o quinto mais elevado do mundo, conforme o levantamento da UpTrend Consultoria, que monta um ranking de 40 países. Os maiores juros do mundo são:
China 7,2%
Tailândia 5,9%
Argentina 4,7%
Malásia 4,5%
Brasil 4,3%.