Estamos recrutando para nossa equipe

20/01/11



Desde 2007, o blog Brasil 1984 vem crescendo e aumentando o seu número de leitores. Sobretudo, tratamos de política, arquitetura, economia, cultura, massmedia e temas orwellianos.

Caso você leitor, esteja interessado em participar da nossa equipe de articulistas, envie um email para:


brasil1984@gmail.com

"Serial killer do planalto continua em ação"

22/12/10



Facção Central possui umas letras bem fortes e expressa a realidade mais crua das favelas brasileiras. Gente frouxa e com preconceito de classe costuma dizer que são "apologia ao crime", quando, na verdade, são um claríssimo relato do cotidiano da pobreza no país.

A Unificação dos Títulos Nacionais de Futebol

15/12/10


por Odir Cunha,

Atendendo ao pedido de uma pessoa muito especial – pela educação, pela sabedoria e pelo caráter – e muito importante para a unificação dos títulos brasileiros, analiso e respondo o artigo publicado ontem no blog de Marcelo Damato, que se identifica como “jornalista há 22 anos”.

Em primeiro lugar, quero dizer que dá credibilidade ter 22 anos de profissão. É um tempo razoável, que incorpora ao profissional experiência e conhecimento para perceber o que é essencial nos fatos.

Digo mais: quanto mais tempo de profissão, mais esta percepção é aguçada. Eu, que em fevereiro completo 34 anos como jornalista da grande imprensa (sem contar jornais de colégio e de bairro), descubro, a cada dia, o quanto ainda há a descobrir e como devemos ter uma postura humilde diante dos fatos, principalmente daqueles que ainda não dominamos bem.

Continue lendo>>>>>>>>

Não custa repetir: A Nossa Logo é um Lixo!

08/12/10




Extrema-Direita Norteamericana clama por pena de morte para fundador de Wikileaks

07/12/10

Os representantes da extrema direita norte-americana pedem pena de morte para o fundador do site Wikileaks por divulgar crimes impublicáveis do governo americano.

Thomas Flanagan, um assessor do primeiro-ministro canadense, Stephen Harper, despejou sua ira contra o australiano Julian Assange, comentando para as câmeras de televisão CBC que veria com bons olhos o assassinato do fundador do site.

"Acho que Obama deveria usar um drone (avião não tripulado) ou algo similar", sugeriu como um mecanismo para exterminar Assange.

Além disso, o ex-candidato republicano à Presidência dos EUA, Mike Huckabee, pediu uma sentença de morte para o australiano de 39 anos.

Além disso, o apresentador da Fox, William O'Reilly, clamou diretamente pela execução dos membros do Wikileaks.

Sarah Palin, ex-governadora do Alasca e ex-companheira de chapa de John McCain nas eleições presidenciais dos EUA, comparou Assange com um líder da Al Qaeda.

Aumenta a Miséria nos Países Mais Pobres

01/12/10

A Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento revelou que se acentuaram os fatores que caracterizam a pobreza nos 49 países mais pobres do planeta.

Segundo um relatório daquele organismo, mesmo no período de maior prosperidade, entre 2002 e 2007, esses países aumentaram a sua dependência de commodities.

Seu secretário-geral, Supachai Panitchpakdi, disse a jornalistas que este grupo de países continua a ser uma tendência a favor da libertação da dependência externa e de matérias-primas.

Segundo o relatório, entre 2000 e 2007 o número de pessoas em extrema pobreza aumentou para 421 milhões, um número que duplica o existente em 1980 - apesar de um crescimento médio do produto interno bruto (PIB) de sete por cento. 

Trabalhador Quase Agride Kassab. Na próxima, leve um porrete!

26/11/10

Que país de merda! Enquanto o prefeito da maior cidade do país despreza as demandas dos pobres, um homem desempregado é levado à delegacia  por requerer seus direitos constitucionais. 

Roubalheira no Bra$ileirão 05: Quem decidirá?

18/11/10

Roubalheira no Bra$ileirão 04: Veja como os árbitros entregaram o título para o Curintians desde a primeira rodada

16/11/10



Assista a trajetória de roubalheiras que ajudou o Corinthians em todo o campeonato brasileiro.

Roubalheira no Bra$ileirão 03: Kajuru Explica


Roubalheira no Bra$ileirão 2: Árbitro Ladrão NÃO é Afastado

15/11/10


Árbitro do pênalti inexistente não é afastado e viaja para EUA, a "trabalho".

Sandro Meira Ricci, que apitou a penalidade em cima do Ronaldo que determinou vitória do Corinthians sobre Cruzeiro, está de licença na CBF. Ele ficará fora da escala nas próximas duas semanas devido a uma viagem anteriormente acertada junto à CBF.

Roubalheira no Bra$ileirão: Presidente do Cruzeiro Chama Árbitro de F.D.P.

14/11/10

Campeonato Bra$ileiro: Uma Vergonha!


O jogo deste sábado entre Corinthians e Cruzeiro foi vergonhoso. Valia o título. E são mais de 11 meses de trabalho. Mas um vigarista resolve aparecer: o árbitro não marcou dois pênaltis legítimos pro time mineiro, e ainda inventou um penalti inexistente em Ronaldo.

Uma palhaçada!

Entrega logo o título pro Corinthian$$$! 

ô CBF, vai tomar no cu!

(Esta semana o blog BRASIL1984 fará posts especiais sobre a roubalheira no Campeonato Bra$ileiro de Futebol.)

Humor Futebolístico

12/11/10

video


Democracia Norteamericana: O Poder Oligopolizado dos Massmedia

09/11/10

O


No final das eleições de meio-de-mandato nos EUA, o maior vencedor ainda não foi declarado: os meios de comunicação de massa. O maior perdedor, entretanto, é a democracia. Estas eleições foram as mais caras na história dos EUA, custando cerca de quatro bilhões de dólares, dos quais três bilhões foram gastos em publicidade. Eu me pergunto porque o tempo de publicidade para campanhas não são gratuitos. Não se ouviu as discussões sobre o assunto porque as corporações que controlam a mídia de massa  obtém enormes lucros das campanhas de publicidade. No entanto, as ondas de rádio, usadas pela mídia para transmitir seus sinais, são públicos.

Isso me faz lembrar de um livro escrito em 1999 pelo especialista em mídia Robert McChesney: "Rich Media, Poor Democracy". Em seu livro, McChesney escreve: "A imprensa tem pouco incentivo para fornecer cobertura para os candidatos, pois é de seu interesse forçá-los a fazer propaganda de suas campanhas."

Evan Tracey, presidente do Media Analysis Group, previu em julho passado que "não haverá mais dinheiro para comprar espaço aéreo." 

No passado, houve tentativas de regulamentar a utilização da mídia para atender às necessidades das pessoas durante as eleições. Nos últimos anos, a tentativa mais ambiciosa era conhecida como "Reforma do financiamento das campanhas eleitorais de McCain-Feingold." Durante o debate sobre esta legislação histórica, tanto democratas como republicanos fizeram referência ao problema das taxas exorbitantes da publicidade televisiva. 

"As eleições se tornaram um produto comercial, um centro de lucro para essas rádios e televisão", disse Ralph Nader, no dia da eleição. Ele disse ainda: "As ondas de rádio públicas, como sabemos, pertencem ao povo. O povo é o titular das licenças de concessão de rádio e televisão".

DFC: Mentira de Eleição

06/11/10

Uma música para celebrar, com classe e elegância, o resultado das eleições para governadores, senadores, presidente e deputados em 2010:



Mentira De Eleição 
autor: D.F.C.- 1996 

Aparece na TV
Vive sempre a prometer
Sua vida é mentir
Sei que nunca vai cumprir
O que interessa
É o meu voto pra ganhar essa eleição
Ou então fraudar as urnas
Viva a corrupção
Cambada de politicos
Filhos da puta, verme parasita
Não faz porra nenhuma
Mentira na sua eleição
Não quero te governar
Quatro anos pra você roubar
Meu voto não vai pra você
E nunca vai me enganar
Dinheiro meu não vai roubar
Não venha me roubar
V.T.N.C.

Charles Chaplin nas Eleições

05/11/10

"Eu continuo a ser uma coisa só, apenas uma coisa: um palhaço. O que me coloca em nível bem mais alto que o de qualquer político" - Charles Chaplin

Israel suspende relações com a UNESCO


Israel suspendeu relações com a UNESCO pelo desacordo sobre a permanência de vários santuários religiosos na Cisjordânia, informou Ashley Perry, porta-voz do vice-chanceler israelense, Danny Ayalon.

A quebra de relações se deve à recente decisão da UNESCO em considerar como "parte inalienável do território palestino ocupado" a Caverna dos Patriarcas em Hebron e o túmulo de Raquel em Belém. Tudo por que a UNESCO alertou, em outubro deste ano, que qualquer ação unilateral do governo israelense em relação a esses santuários seria interpretada como uma violação do direito internacional.

Dilma ganhou... e agora?

02/11/10


por Eduardo Almeida Neto,


Quem ganhou afinal?

Os trabalhadores acreditam que tiveram uma vitória. Em suas cabeças, Dilma expressava a sua luta contra a direita, representante do empresariado. Façamos, pois, uma reflexão.

O empresariado se dividiu nas eleições. Serra foi o candidato da direita tradicional, com uma parte dos dirigentes industriais e financeiros paulistas, as grandes empresas da mídia (TVs e jornais), e uma parte do agronegócio.

Dilma foi a candidata de um grande setor do empresariado que cresceu muito no governo Lula e aprendeu a fazer bons negócios com o PT. São os bancos beneficiários das maiores taxas de juro de todo o mundo, a construção civil beneficiária das obras do PAC e do "Minha Casa , Minha Vida", grandes empresas que recebem financiamentos do BNDES. Mais especificamente, isso inclui uma parte importante dos bancos (o Itaú e a família Safra, por exemplo), grandes construtoras, mineração (Eike Batista, o homem mais rico do país; Vale, a maior empresa privada), comércio (Abilio Diniz, do Pão de Açúcar), siderurgia (Benjamin Steinbruch, dono da CSN) e muitos outros setores.

Continuar lendo>>>>>>>

BBC: Jonathan Miller entrevista Denys Turner

Produzida para a BBC inglesa, esta entrevista foi realizada em 2004 com o filósofo e teólogo Denys Turner. O neurologista e dramaturgo Jonathan Miller o indaga sobre suas jornadas intelectuais pessoais e oferece análises esclarecedoras da religião a partir de várias perspectivas.

Uma entrevista imperdível para quem se interessa por questionamentos críticos acerca da existência e das reflexões religiosas. 

Eleições 2010: Neologismo de Conveniência

28/10/10


Eleição é o campeonato das aparências. Para o mal da gastrite dos ouvintes, ouve-se os debates e a falta de idéias que representam os discursos predominantes. De modo geral, a argumentação final em tempos de segundo-turno é a mesma: cada qual se entitula o epicentro da perfeição política, e confere ao outro o título de imoral oportunista. Os "debates" nos estúdios de TV tendem a concentrar-se em um show de horrores: ofende-se e acusa-se reciprocamente de todo tipo de qualidades indignas, e a única certeza que tem o telespectador é que esse intercâmbio de agressividade entre os candidatos vem a reafirmar o seu asco perante a política nacional.

Mas alguma coisa, pelo menos, é certa: os níveis elevados de pobreza ainda incomodarão os dados estatísticos do IBGE, o latifúndio ainda se chamará agro-negócio, e a destruição do meio-ambiente continuará sendo "desenvolvimento sustentável".  Neste neologismo de conveniência, ainda há quem acredite que o "pluralismo político" se mede pelo número de partidos, que privatização é "acumulação de divisas internacionais", que o superávit primário é a principal finalidade do Estado, e o que o fato de os bancos terem lucrado $170 bilhões nesses 8 anos de governo Lula é uma evidência de "desenvolvimento econômico".

Quando morre um ex-presidente neo-liberal de um país vizinho, Lula decreta luto nacional. Quando vários pobres morrem nas telas do cinema pelos fuzis do BOPE, há aplausos e gritos de alegria. 

Enfim, para uma crítica bem humorada do pluralismo político:

ONU: 187 Nações a Favor do Fim do Bloqueio contra Cuba

27/10/10


Em uma votação na ONU, 97% dos países rejeitaram ontem (26/10), pelo quinto ano consecutivo e com voto aberto, o bloqueio dos EUA contra Cuba.

Esta informação foi apresentada à Assembléia Geral da ONU logo após anunciado o resultado da votação, que reafirmou a demanda global para o levantamento do cerco: 187 a favor do fim do bloqueio, dois contra e três abstenções.

Este foi o maior resultado alcançado desde o início deste tipo de exercício sobre o assunto em 1992.

Desta vez, Washington só teve o apoio de Israel, já que Palau abandonou a sua posição tomada no ano passado e foi para o trio de abstenções com Ilhas Marshall e Micronésia, que ocupou a posição de 2009.

Um ano atrás, foi também o resultado de 187 votos a favor, mas três contra e duas abstenções.

187 países, ou seja, 97% dos membros da ONU rejeitaram o bloqueio imposto. Ademais, consideraram inadmissível defender o direito extraterritorial de uma norma jurídica sancionada por um Estado para regir a outro sem o seu consentimento, como o faz a chamada "Lei Helms-Burton".

3° Aniversário: Novo Design

26/10/10

Em comemoração aos 3 anos do site, a partir de hoje estaremos com um novo design, visando facilitar a navegação e a disposição dos links para os usuários.

Agradecemos a todos os leitores deste site, pois são vocês quem o mantêm com as constantes visitas.

Escute isso...

25/10/10

video

FHC se reúne com investidores extrangeiros para prometer privatizações

21/10/10


(Obs: Este não é um post "pró-Dilma")

FHC admite que se reuniu com “investidores” a portas fechadas

Carlos Lopes

Os “ouvintes” compareceram ao encontro interessados nas privatizações de Serra

Na mesma hora em que Serra jurava ser apaixonado pelas estatais (depois de ser responsável por 109 privatizações), Fernando Henrique Cardoso, juntava uma centena e meia de “investidores” estrangeiros para falar sobre as oportunidades que um governo Serra abriria para a privatização da Petrobrás, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Eletrobrás, etc., etc., etc.

O primeiro a divulgar a reunião de Fernando Henrique com os “investidores”, ainda na noite de domingo, foi o veterano jornalista mineiro Laerte Braga: “O evento é fechado, o assunto é a privatização da Petrobrás, de Itaipu e do Banco do Brasil, além de outras ‘oportunidades’ de negócios. FHC está assumindo o compromisso de venda dessas empresas em nome de José Serra. Cada um dos investidores recebeu uma pasta com dados sobre o Brasil, artigos de jornais nacionais e internacionais e descrição detalhada do que José Serra vai vender se for eleito. E além disso os investidores estão sendo concitados a contribuir para a campanha de José Serra, além de instados a pressionar seus parceiros brasileiros e a mídia privada a aumentar o tom da campanha contra Dilma Rousseff”.

Braga citava uma das frases de Fernando Henrique aos estrangeiros: “se deixarmos passar a oportunidade agora jamais conseguiremos vender essas empresas”.

Enquanto isso, Serra dizia na TV que é mais estatista do que Luís XIV, que é contra a privatização de qualquer empresa. A incredulidade com que alguns receberam a notícia divulgada por Laerte Braga, se desfez quando, na segunda-feira, o Click Foz, um portal de notícias de Foz do Iguaçu, entrou em contato com o gerente do hotel, que confirmou “um evento com a participação do ex-presidente ontem, e disse ainda que a reunião foi fechada e contou com a participação de vários estrangeiros”.

A reunião foi tão fechada que – exceto, naturalmente, os seus participantes e o hotel - ninguém em Foz do Iguaçu sabia da presença de Fernando Henrique.

O ganhador do Nobel da Paz esclarece quem são seus inimigos e ofende Galeano

20/10/10



Um vídeo bastante interessante. O Sr. Obama, Nobel da Paz, admite que Hugo Chavez, Rafael Correa e Evo Morales são seus inimigos: o que é bastante esclarecedor para quem não compreende porque esses 3 presidentes eleitos são cotidianamente endemonizados pela mídia.

Outro fato digno de nota, é o modo ofensivo que esse indivíduo se referiu ao maior livro já escrito sobre a América Latina, de Eduardo Galeano, e que lhe foi dado de presente pelo presidente venezuelano. Ele chamou a nossa história de "livro sobre Peter-Pan".

(Clique duas vezes sobre o vídeo para vê-lo em tela cheia porque o blospot não o está linkando corretamente).

"O Charme Discreto da Burguesia (1972)": um filme banal

18/10/10

Há filmes que, de certa forma, formam parte de um vocabulário básico de todo apreciador de cinema. Em geral, a maioria dos filmes de qualidade já foram catalogados em listas de "x" melhores da Nouvelle Vaugue, "x" melhores das décadas tais, de todos os tempos etc. Também é facilmente compreensível que todos eles já tenham sido objeto de análise e de textos sortidos de fácil acesso.


"Le Charme Discret de la Bourgeoisie" de 1972 é um filme, do diretor mexicano Buñuel, que costuma ser muito badalado por ser uma "feroz" crítica à nossa sociedade contemporânea. Os seus expectadores também costumam agregar os adjetivos "ácida", "surrealista", "combinação de realidade e absurdo" e tantas outras embalagens mais.

Segundo Ruy Gardinier, neste filme percebe-se “o sonho da bela comunidade, da agregação ideal de um grupo de pessoas afins, de modo a transformarem o mundo em algo mais belo”. Esta é uma daquelas belas frases retóricas, típicas dos críticos de arte contemporânea, que tentam acrescentar, com palabras, algum conteúdo a algo que não tem nenhum.

Qualquer um que esteja acostumado com um mínimo de literatura verdadeiramente crítica da sociedade (Horkheimer, Gramsci, Luhmann, Nietzsche, Marx, Hegel, Deleuze etc) percebe que o mais evidente nesta obra de Buñuel é a ausência absoluta de diálogos críticos e aprofundamento em quaisquer questões.

É preciso certo esforço para enxergar que o que se passa na tela não é nada mais do que se passa em qualquer outro filme, inclusive os tais "absurdos surrealistas", que se devem aos sonhos dos personagens e não a uma análise do absurdo cotidiano.

Tanto Serra quanto Dilma vão desprezar os pobres

15/10/10


Não existe mal menor: votar em Dilma ou em Serra vai fortalecer um deles para atacar com mais força os trabalhadores

Eduardo Almeida Neto

Está havendo uma pressão grande do governo e seus apoiadores no sentido de votar na Dilma para evitar a volta da direita. Temos acordo completo com a luta contra a oposição de direita. Os governos do PSDB foram fundamentais para introduzir o neoliberalismo no Brasil, com as privatizações e os ataques aos direitos dos trabalhadores.

Mas lutar contra a direita não significa votar em Dilma Rousseff. Não podemos adotar a luta unicamente contra Serra, sob pena de capitular à pressão da colaboração de classes praticada pelos governos do PT. O pior dos mundos é legitimar uma falsa polarização entre os dois projetos majoritários da burguesia.

Os partidos da oposição de esquerda – PSTU, PSOL, PCB e PCO – não podem dar um cheque em branco ao PT, como se esse partido fosse o representante da esquerda nessas eleições. A direita – entendida como a representação da grande burguesia – não é representada nessa campanha só por Serra, mas também por Dilma.

Hoje, no Brasil, as grandes empresas estão divididas nas eleições Um setor apoia Serra, o que é mais que evidente nas empresas de TV e jornal. Outro setor, que inclui os banqueiros, as multinacionais e os governos imperialistas, apoia política e financeiramente as duas campanhas, com uma leve vantagem para Dilma.

As duas campanhas são financiadas pelos banqueiros, multinacionais e grandes empreiteiras, e Dilma arrecadou bem mais do que Serra até agora. O dólar se manteve estável nas eleições, ficando abaixo de R$ 1,7. Todos nós lembramos do dólar a mais de R$ 4 nas vésperas das eleições de 2002, quando a burguesia ainda temia o que podia ser o governo Lula. Agora, o grande capital confia no PSDB... e no PT.

Votar em Dilma ou em Serra é manter o plano econômico neoliberal aplicado por FHC e continuado por Lula. É manter bloqueada a reforma agrária, como aconteceu no governo FHC e também no de Lula. É aceitar a ocupação militar do Haiti defendida por Dilma e Serra.

Um governo do PSDB ou do PT vai atacar duramente os trabalhadores quando a crise econômica internacional chegar novamente ao Brasil. Tanto um quanto o outro já anunciaram sua disposição de aumentar a idade mínima para a aposentadoria. Cada voto dado em Dilma ou em Serra é uma força a mais que eles terão para uma nova reforma da Previdência.

Votar em Serra seria votar junto com FHC, Cesar Maia, Yeda Crusius, velhas figuras da direita desse país. Votar em Dilma seria votar junto com Maluf, Collor, Sarney, Jader Barbalho, outras figuras da mesma direita.

Não existe um “mal menor”. Votar em Dilma ou Serra vai fortalecer um deles para atacar com mais força os pobres e os direitos dos trabalhadores. O mal maior é não ter uma alternativa de esquerda dos trabalhadores nesse segundo turno. Por isso, um ataque à direita é uma declaração conjunta pelo voto nulo.

12/10/1492, "Dia da Raça": uma música que todo mundo deveria conhecer

12/10/10

La Maldición de la Malinche
Composição: Gabino Palomares

Del mar los vieron llegar 
mis hermanos emplumados
Eran los hombres barbados
de la profecía esperada
Se oyó la voz del monarca
de que el dios había llegado.
Y les abrimos la puerta
por temor a lo ignorado.

Iban montados en bestias
como demonios del mal
Iban con fuego en las manos
y cubiertos de metal.
Sólo el valor de unos cuantos
les opuso resistencia
Y al mirar correr la sangre
se llenaron de verguenza.

Porque los dioses ni comen
ni gozan con lo robado
Y cuando nos dimos cuenta
ya todo estaba acabado.
Y en ese error entregamos
la grandeza del pasado
Y en ese error nos quedamos
trescientos años esclavos.

Se nos quedó el maleficio
de brindar al extranjero
Nuestra fe, nuestra cultura,
nuestro pan, nuestro dinero.
Y les seguimos cambiando
oro por cuentas de vidrio
Y damos nuestras riquezas
por sus espejos con brillo.

Hoy, en pleno siglo veinte
nos siguen llegando rubios
Y les abrimos la casa
y les llamamos amigos.
Pero si llega cansado
un indio de andar la sierra
Lo humillamos y lo vemos
como extraño por su tierra.

Tu, hipócrita que te muestras
humilde ante el extranjero
Pero te vuelves soberbio
con tus hermanos del pueblo.
Oh, maldición de Malinche,
enfermedad del presente
¿Cuándo dejarás mi tierra..?
¿cuándo harás libre a mi gente?

Assiste logo esse vídeo...

08/10/10

clique duas vezes na tela do vídeo, porque o blogspot não está linkando corretamente.


Dia das Crianças

07/10/10

Dirigido pela cineasta Estela Renner e produzido por Marcos Nisti, o documentário promove uma reflexão sobre como a sociedade de consumo e as mídias de massa impactam na formação de crianças e adolescentes. E mostra uma realidade difícil de acreditar: hoje as crianças preferem ir ao shopping a brincar, conhecem marcas pelo logotipo, e, apesar de terem uma vasta coleção de brinquedos e jogos, se encantam mesmo é por um pequeno bonequinho de plástico.

Por que crescer dói?

27/04/10


Comumente ouve-se que "crescer dói", e que o amadurecimento é intrinsicamente doloroso. Mas o que isso quer dizer exatamente? Qual a razão da dor? 

O indivíduo, ausente do mercado de trabalho e das relações de dominação e sujeição a que estão submetidos todos os que cotidianamente o enfrentam, alimenta uma percepção romanceada de que a vida é como um lazer prolongado e que o trabalho é um passa-tempo remunerado. No entanto, no momento em que se dá a inserção do indivíduo do mercado de trabalho, este apercebe-se, mesmo que instintivamente, que ele próprio é uma versão em oferta de uma mercadoria em abundância. Transformado em mero produto à disposição nas prateleiras do mercado e submisso à concorrência própria das objetos inanimados pelo empregador, ele está finalmente à mercê da lei que regulamenta as relações humanas: a lei econômica. Suas habilidades produtivas são reduzidas ao valor do salário, que é, em essência, o valor que ele próprio possui em sociedade. Ele vê seus anseios e aspirações intelectuais, emocionais e sociais serem condensadas em requerimentos técnicos dentro de uma linha produtiva positivada pela divisão em série e acrítica do trabalho. Inserido em um processo de embrutecimento, sua atividade remunerada se reduz a um par de atividades rotineiras que contêm a aventura de se grampear 40 horas por semana algumas pastas de papéis impressos e clicar repetitivamente o mouse. O indivíduo apercebe-se que, assim como as mercadorias no supermercado, ele próprio possui seu código de barras e preço explicitado pelas suas relações produtivas no trabalho, e está disposto no fundo do corredor dos produtos de limpeza. Enfim, dada a natureza monetária das relações sociais, dá-se conta finalmente de que seu valor enquanto mercadoria é também seu valor enquanto pessoa no mercado de indivíduos à disposição para os relacionamentos sociais. Finalmente, acumula insatisfações inúmeras dada a exposição a que está sujeito pela sociedade de consumo, e se vê como engrenagem descartável dentro de uma máquina produtiva que se utiliza instrumentalmente da massa de desempregados para comprimir decisivamente a massa salarial. E não compreende, enfim, que sua dor é advinda socialmente do desconforto generalizado a que está submetido pela compressão de sua existência individual à condição de mercadoria facilmente substituível.

Os mistérios da Bíblia cientificamente analisados

19/04/10

O Amor e o Direito Penal

06/04/10


(humor jurídico)

 Os relacionamentos amorosos são como uma ação judicial. Ou seja, tipificam-se quando um homem e uma mulher concorrem para a execução de um delito em comum. Na fase dos atos preparatórios, cabe ao homem perpetrar a instigação, caso a mulher tenha apresentado alguma reciprocidade, ou induzimento, caso haja criação de propósito inexistente. A conduta típica se dá a partir da invectiva do agente masculino e das deliberações e contraditório do feminino. Nesta fase de execução do crime, antes do primeiro beijo, pode haver iniciativa de ambas as partes que leve ao arrependimento eficaz, que impede que o crime, já consumado, tenha efeitos; ou, após o beijo propriamente dito, arrependimento posterior, ou seja, quando o agente evita ou diminui as consequências do seu delito, ou, repara o dano até a data do julgamento, o que atenuará a pena. O beijo deliberadamente propiciará a reincidência posterior acompanhada de qualificadores, os quais serão inapropriadamente declarados como culposos pelo agente feminino. Ou seja, a primeira relação sexual será, para o homem, a execução de homicídio doloso quanto ao relacionamento, enquanto que este mesmo ato será, para a mulher, apenas o início da propositura da ação de julgamento. A partir de então, o agente feminino apresentará sua advogada de acusação, no caso a sogra, a qual argumentará que o agente masculino instiga ou determina a cometer o crime alguém sujeito à sua autoridade ou não-punível em virtude de condição ou qualidade pessoa, ou seja, por ser mulher. Enquanto aquele apresentará seus advogados de defesa, no caso seus pais, os quais estarão incumbidos de gerar certidões negativas de bons antecedentes perante o juri. Caso o agente masculino seja condenado, estará sujeito a multa e pena privativa de liberdade, no caso, pena de reclusão em regime fechado, em penitenciária de segurança máxima com direito a duas horas de banho de sol aos sábados, e noventa minutos de visitas dos amigos aos domingos para assistir futebol. Ou seja, ele estará casado. Neste momento, o agente feminino inicia a execução do crime de latrocínio: roubo do patrimônio do marido e homicídio doloso de sua vida social. Além do mais, de acordo com o Art. 61 do CP, tal crime será também qualificado por ter o agente cometido-o: por motivo fútil ou torpe; para facilitar ou assegurar a execução, a ocultação, a imunidade ou vantagem de outro crime; à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação, ou outro recurso que dificultou ou tornou impossível a defesa do ofendido; prevalecendo-se de relações domésticas, de coabitacação ou de hospitalidade. O casamento será então como um “workshop”, enquanto um “work”, a outra “shop”. Por outro lado, no Brasil, é em respeito ao inciso XLVII do Art. 5° da Constituição Federal, o qual veta as penas de caráter perpétuo, que se instituiu o direito ao divórcio. Neste caso, dada a imputabilidade penal do agente feminino, cabe aos advogados de defesa e ao condenado recorrer à segunda instância. A separação é a alegação de inocência do agente masculino, o que não o excluirá da obrigação de reparações materiais advindas da perda da guarda dos filhos. Os tempos mudam, mas, como se sabe, o principal causa do divórcio ainda é o casamento.

Vem, vamos embora, que esperar não é saber

16/01/10


É notável o modo como os meios de comunicação de massa, ao tratar do recente terremoto no Haiti, tendem a tematizar preferencialmente os aspectos sentimentais e trágicos em detrimento de uma análise histórica crítica. Em especial, desconsideram duas causas fundamentais do presente caos: os condicionantes político-econômicos herdados do período colonial e as contumazes condições de extrema miséria.

Dominado pelos espanhóis em 1605, o território do Haiti agregou-se à economia mundial em 1697 ao submeter-se aos franceses, os quais se ocuparam de explorar a cultura do açúcar. De tal forma que, numa terra onde, até então, prevalecia o policultivo de subsistência de culturas ancestrais, foi implantado subitamente a monocultura da cana-de-açúcar e a importação massiva de mão-de-obra escrava de origem africana. Conseqüentemente, no século XVIII, o Haiti tornou-se a colônia mais rica do continente e forneceu a riqueza que financiou a opulência da construção de Paris. Em 1791, entretanto, iniciou-se a revolução haitiana, que originaria a independência em 1804. Neste período, uma guerra umedeceria o país com sangue e devastaria as plantações. A França, por outro lado, só reconheceria a independência em 1825 em troca de uma gigantesca indenização, em analogia ao que já havia ocorrido com o Brasil em 1822.

Salário mínimo

09/01/10

Boris Casoy: vergonha nacional

05/01/10



Ao encerrar o Jornal da Band da noite de 31 de dezembro de 2009, dois garis de São Paulo aparecem desejando feliz ano novo ao povo brasileiro. Na sequência, sem perceber o vazamento de áudio, Boris Casoy, âncora da TV Bandeirantes, fez o seguinte comentário: “Que merda... Dois lixeiros desejando felicidades... do alto de suas vassouras... Dois lixeiros... O mais baixo da escala do trabalho”.

Na noite seguinte, o jornalista preconceituoso pede desculpas meio a contragosto: “Ontem durante o programa eu disse uma frase infeliz que ofendeu os garis. Eu peço profundas desculpas aos garis e a todos os telespectadores”. Numa entrevista à Folha, porém, Boris Casoy mostra que não se arrependeu da frase e do seu pensamento elitista, mas sim do vazamento. “Foi um erro. Vazou, era intervalo e supostamente os microfones estavam desligados”.

Feliz Natal

23/12/09

Ignorance is Strength: a sustentabilidade está a caminho

15/12/09


Como se sabe, o encontro de Copenhagen se tornou uma ótima oportunidade para a queda de algumas máscaras. O que, na verdade, já havíamos previsto. O acordo se tornou definitavamente uma grande afronta aos países menos favorecidos, dado que os países do G8 (EUA+Europa Ocidental) se prestaram a oficializar seu desprezo pelo chamado G77 (grupo dos países africanos+13 países em desenvolvimento). Bem, não é nenhuma novidade que esses acordos não levarão a nada, porque, como já dissemos, "sustentabilidade" é puro palavrório, a verdadeira panacéia dos discursos políticos. Enfim.

Segundo o Telegraph, o número de limusines que circularam por esses dias em Copenhagem ultrapassou 1.200. Não havia o suficiente em toda a Dinamarca, sendo que, para atender a demanda, tiveram que alugá-las naAlemanha e Suécia.

No aeroporto chegaram mais de 140 jatos privados, e como não cabiam todos, tinham que baldear seus passageiros em Estocolmo. O ilustríssimo Sr. Obama, que na semana passada enviou mais 30.000 soldados para a guerra no Afeganistão, foi a Oslo receber o seu Nobel da Paz. Em seguida, concedeu uma escapadela para Washington, para novamente cruzar o Atlântico de volta a Copenhague, que fica a apenas duas horas de Oslo.

Nos hotéis de 1000 euros por noite, o consumo de foie gras, ostras, mariscos em extinção e tortinhas de caviar. Tudo muito sustentável.

Felizmente, houve aqueles que usaram carros híbridos (elétricos+gasolina) e estamos contentes por isso. Sabe quantos desses carros foram utilizados?

Cinco.

Brain Wash

10/12/09

"Se as pessoas tendem a expor-se, sobretudo, às comunicações de massa de acordo com as suas próprias atitudes e interesses, elas acabam por evitar outros conteúdos e, principalmente, divergências. Se, ainda por cima, tendem a esquecer esses outros conteúdos mal lhe aparecem à frente dos olhos e, finalmente, se tendem a adulterá-los mesmo que os recordem, então é evidente que, muito provavelmente, a comunicação de massa não modificará seus pontos de vista. É muito mais provável que vá reforçar opiniões preexistentes".

Do excelente blog: T.P.M. - Teoria e Prática da Mediocridade

http://guiatpm.wordpress.com

Enchentes

PSDB, Eduardo Azeredo e mensalão mineiro

07/12/09

Pausa para Humor Futebolístico





Suíça: Liberdade é Escravidão

04/12/09

Um referendo de iniciativa do Partido Popular Suíço (PPS, de direita e no governo) aprovou neste domingo, com 57,5% dos votos, a proibição de minaretes na Suíça. A decisão xenófoba foi amplamente condenada, inclusive por autoridades cristãs, judaicas e pela ONU. Mas os intolerantes de outros países europeus já se agitam, querendo imitar os suíços.

Por Bernardo Joffily

A Suíça possui apenas quatro mesquitas com minaretes – a mais antiga, em Zurique, é quase cinquentenária. Os muçulmanos, pelo censo de 2000, formam modestos 4,3% da população – recrutados pelo capital suíço para os trabalhos mais duros e mal pagos –, atrás dos católicos (42%), protestantes (33%) e ateus (11%). Mas o PPS forçou o referendo, acusando as esguias torres das mesquitas de ser um "símbolo político-religioso".

"Um autêntico murro na cara"

O surpreendente e assustador é que a maioria dos eleitores acreditou nessa pregação. O comparecimento foi elevado, 53,4%, quando a participação em referendos costuma girar em torno de 30%.

A decisão, que implica em inscrever a proibição na Constituição suíça (sem chegar a demolir os quatro minaretes existentes), sofreu uma onda de condenações.

"Os muçulmanos da Suíça não receberam uma bofetada, mas um autêntico murro na cara", afirmou, consternado, o deputado Ueli Leuenberger, presidente do Partido Verde suíço. "É o resultado de uma propaganda extremamente bem feita, que jogou com os preconceitos", avaliou.

Navi Pillay, alta comissária das Nações Unidas para os direitos humanos, disse que a proibição é "profundamente desagregadora", "claramente discriminatória" e não condiz com as "obrigações legais internacionais" da Suíça. "É um passo completamente infeliz para a Suíça tomar, e que arrisca colocar o país em rota de colisão com suas obrigações internacionais de direitos humanos", comentou Navi, uma advogada sul-africana de raízes indianas.

O Comitê de Direitos Humanos da ONU afirmou no mês passado que a proibição equivaleria a um descumprimento pela Suíça da Convenção Internacional sobre Direitos Civis e Políticos.

"Se a proibição for implementada, é uma violação", disse à Reuters Nigel Rodley, membro do Comitê. "Ela é discriminatória em questão de religião e infringe a liberdade religiosa. É o equivalente a banir as torres das igrejas", disse Rodley, professor de Direito da Universidade de Essex, na Grã-Bretanha.

A Restauração europeia pós-1989

Mas se o referendo suíço provocou repulsa e temor nos defensores da liberdade e tolerância em matéria de religião, foi abertamente festejado pela direita e a ultradireita de vários países europeus. Estas forças, umas mais, outras menos abertamente racistas, veem no resultado um exemplo a seguir.

A crise econômica que ainda castiga o continente ao que parece só agravou essas tendências tenebrosas. O racismo, a xenofobia, a intolerância e o uso dos imigrantes como bodes expiatórios permanecem. A Europa, nos 20 anos pós-Guerra Fria, vive uma fase de restauração, comparável às de 1815-1848 (após a derrota de Bonaparte) e 1922-1943 (ascensão do nazifascismo). O mundo dos direitos humanos e das liberdades democráticas espera que também essa Terceira Restauração acabe.

A História das Coisas

03/12/09



Excelente vídeo!
Acho que todo mundo já o assistiu, mas coloquei aqui assim mesmo. Se você ainda não viu esse mini-documentário, está desatualizado.

UDN>ARENA>PDS>PFL>DEM>?

As eleições em Honduras tiveram abstenção de 65%

30/11/09


O presidente constitucional de Honduras, Manuel Zelaya, disse nesse domingo que o processo eleitoral ilegítimo e controvertido para eleger o próximo presidente teve abstenção de 65%.

"Os insurgentes estão dizendo que a abstenção chegou a 30%, quando na verdade foi de 65%. Temos 1400 assembleias e 5.000 entrevistados e possuímos os registros, o número de votantes e dos eleitores, ou seja, nós temos dados suficientes para demonstrar que a ditadura fraudou a eleição", disse ele.

Transgênicos

28/11/09

Não deixe de assistir esse documentário:

O Mundo Segundo a Monsanto (clique aqui)

Xenofobia Européia: 67% dos britânicos rejeitam os imigrantes

26/11/09


67% dos britânicos acreditam que a imigração é ruim para a Grã-Bretanha, segundo uma pesquisa divulgada neste mês de novembro.

Segundo o levantamento, conduzido pela consultoria Angus Reid Public Opinion, dois terços dos eleitores britânicos acreditam que a imigração tem um impacto "negativo" no país.

Segundo a maioria dos entrevistados, os imigrantes estão ocupando os postos de trabalhos que deveriam ser reservados aos britânicos e acreditam que eles deveriam ser deportados.

Um porta-voz da Angus Reid Public Opinion, disse que a pesquisa mostra que a imigração é um tema importante para os eleitores.

"O nível de preocupação, tanto pela imigração legal quanto pela ilegal, é particularmente alta na Grã-Bretanha no momento", acrescentou.

Dos 2006 entrevistados, 56% acreditam que os imigrantes ilegais "roubam" empregos dos britânicos, enquanto 57% acreditam que aqueles que não têm documentos para permanecer no país devem ser deportados imediatamente.

Apenas 23% acreditam que os imigrantes ilegais podem ser capazes de trabalhar na Grã-Bretanha temporariamente, enquanto 13% que eles poderiam obter a cidadania britânica.

Democracia Norteamericana

23/11/09

"Para mim, democracia significa poder explorar os outros impunemente".

Não deixe de assistir esse documentário:

A Mentira de Obama (clique aqui)

A Política Atualmente

20/11/09


Como diria meu amigo, do site T.P.M. (Teoria e Prática da Mediocridade):

``O Homem Medíocre não gosta de política. Para ele, política é aquela coisa chata que passa na televisão na época das eleições e que corta a novela bem na hora que o galã tira a camisa. Para o HMC, eleição é uma espécie de Jogo do Bicho: no dia em que vai votar, ele não sabe se escolhe a vaca, o cachorro ou a mula-sem-cabeça. (...)

Para o HMC, política é aquela coisa de gente pedante e ingênua, que sonha inutilmente com um mundo melhor, quando, na verdade, é muito mais inteligente ficar xingando o Lula do sofá.``

Fonte: http://guiatpm.wordpress.com

Ollanta Tasso: EUA e Brasil


Os sete bases militares norteamericanas na Colômbia são destinadas a combater a influência do Brasil e não somente provocar uma guerra com a Venezuela, disse o líder do Partido Nacionalista do Peru, Ollanta Humala Tasso. 

Dado que os EUA, na última década, têm centrado sua atenção na Europa e na Ásia Central, o "abandono" da vigilância sobre a América Latina e a ausência de novos golpes militares permitiu o surgimento de uma nova corrente política que está firmemente apoiada pelo Brasil, Venezuela, Equador, Bolívia e outros países da região, disse o político peruano.

Ele observou que a instalação de bases militares norteamericanas no país Granada é uma ferramenta para desestabilizar a região que está forçando os países vizinhos a implementar uma política de guarda de fronteira como Venezuela, Equador, Brasil e Peru fazem fronteira com a Colômbia. Ele acrescentou que o povo da América Latina quer a paz, e mostra firme oposição à instalação de bases militares E.U. e qualquer outro país da região.

Estamos no VEJ@BLOG

18/11/09


Entamos entre os melhores sites da semana no VEJ@BLOG, uma seleção dos melhores sites e blogs do Brasil.

Opressão contra os blogs

17/11/09


Lá vem o Grande Irmão. Este blog está de luto pela morte de um dos melhores blogs dos últimos tempos: FBI (Festival de Besteiras na Imprensa). Boicotado pela administração do Blogspot, o blog "Festival de Besteiras" era um dos mais originais e informativos da internet. Notoriamente contrário à mídia brasileira, que é podre, o blog foi aniquilado pelas pressões das empresas que se sentiram ameaças com o ibope daquele que desvendava suas mentiras e dissimulações.

Abraços ao amigo Antônio, que logo estará de volta com outro blog por aí.

Revertério

16/11/09

Novas pesquisas, os mesmos resultados.

12/11/09


 Novas pesquisas, os mesmos resultados. Nestes dias, quando se promovem as ridículas comemorações do triunfo do capitalismo em 1989 (em um momento de evidente fracasso do mesmo), vieram à luz, memórias, testemunhos e pesquisas que mostram que a opinião geral sobre a queda do muro é bem divergente da que é apresentada na mídia.

Em primeiro lugar porque, apesar da queda do muro de Berlim, o verdadeiro muro, que divide a sociedade entre proprietários e assalariados, continua a crescer e a aprofundizar as desigualdades (para não mencionar outras paredes físicas construídas pelos capitalistas que tanto criticaram o que caiu em 89, como o muro na Palestina, o Sahara, na E.U. da fronteira com o México, os muros nas favelas no Rio, ou muitos outros que mantêm os pobres e os "indesejáveis" do lado de fora). 

Mas, em segundo lugar, porque, como publicado em outros países, uma pesquisa mostrou que a maioria dos romenos considera que  suas vidas durante o período comunista foi consideravelmente melhor do que as atuais realizações do capitalismo. 

As pesquisas do jornal Jurnalul confirma que os romenos não acreditam no mercado livre, que foi implantado violentamente na Europa Oriental há 20 anos e que converteu seus habitantes em fonte de trabalho barato e os despojou do acesso à riqueza. Agora, o livre mercado os levou a um nível bastante generalizado de pobreza (é verdade que as minorias privilegiadas vivem muito melhor do que antes). 

O estudo conclui que os romenos são nostálgicos do comunismo. Da mesma forma, os romenos acreditam que o Estado deve intervir na economia, na garantia de um emprego e de um padrão de vida decente. Os baixos salários de 20 anos atrás, mas seguros, são preferidos aos de agora. Isto é, eles anseiam a volta do tempo em que os direitos sociais eram garantidos pelo Estado. 

O novo inquérito de investigação sociológica apresenta os seguintes resultados: 

* O comunismo foi uma boa idéia: 

42% Concordo Totalmente 
22% Concordo
15% Nem concordo nem discordo
8%  Discordo  ligeiramente
6% Discordo totalmente
7% Não sei, nenhuma resposta 

* Você acha que ele deve deixar as coisas a resolver que a economia de mercado na economia ou o estado deve ser envolvido? 

24% acreditam que a liberdade deve ser deixada para a economia de mercado
69% O Estado deve intervir e regular a economia 
7% Não sei, nenhuma resposta

Obama's Change

11/11/09

Discussões Supérfluas: o Congresso sobre Mudanças Climáticas em Barcelona

09/11/09


Um amigo jornalista que assistiu a essas palestras as descreveu desta forma ao final da reunião: "É como se você fosse para comprar uma casa com sua esposa e começasse a discussão pelo tipo de maçaneta, o estilo de toques nos banheiros e se as janelas teriam cortinas ou persianas, mas se esquivasse ao discutir sobre como gastar ou quanto estaria disposto a se endividar". Eu acho que é uma boa imagem sobre as questões que progrediram nesta reunião.

Não sou, obviamente, contra a sustentabilidade. Mas é bem evidente que esta é a palavra sagrada que os oradores em conferências sempre desejaram. Se o assunto é sobre degradação ambiental ou mudanças climáticas, basta acrescentar a temática sustentabilidade em todas os argumentos fundamentais. E não esquecer de concluir, certamente, com algo assim "e isso será alcançado com racionalidade através de práticas que visam um desenvolvimento sustentável". Palmas.

Além do mais, o romance dos ambientalistas com a administração do Sr. Obama durou pouco. Em junho, quando a nova delegação do último Nobel da Paz chegou a Bonn, houve aplausos e honrarias. Mas a máscara não perdurou. Prova disso são os vários prêmios "Fóssil do Dia", que os EUA ganharam essa semana, um prêmio que as ONGs entregam à pior perfomance nas negociações. Particularmente, causou muita rejeição o anúncio da delegação norteamericana ao relatar que o Congresso iria atrasar o trâmite da lei em matéria de alterações climáticas, uma parte fundamental de sua política internacional sobre o assunto.

Brasil foi país do G20 em que salários foram menos afetados

07/11/09


O Brasil está entre os países do G20 que registraram menor perda salarial durante a crise financeira, segundo relatório divulgado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). Os dados indicam que os salários médios mensais no Brasil registraram crescimento de 2,8% em 2008, acima de países como Canadá (2%), Austrália (1,1%) e Grã-Bretanha (0,5%).

Apesar disso, os salários brasileiros cresceram menos do que em 2007, quando aumentaram 4,9%, segundo dados da OIT. As maiores perdas foram registradas em países como México (-3,5 %), Japão (-0,9%), África do Sul (-0,3%) e Alemanha (-0,6%).

Segundo o economista Patrick Belser, as políticas de recuperação da economia implementadas pelo governo brasileiro tiveram impacto positivo no emprego e salários do país. A OIT considera que o governo brasileiro tomou medidas "decisivas não somente para prevenir a crise, mas também para reforçar a proteção social".

Entre elas, o relatório cita o aumento do salário mínimo e as iniciativas para garantir a continuidade de investimentos em infraestrutura, "que tiveram um impacto favorável na demanda por mão-de-obra", na opinião de Patrick Belser.

Cautela

"O Brasil conseguiu atravessar o período de crise de maneira memorável, mas já observamos, no primeiro trimestre deste ano, uma queda pronunciada na evolução dos salários e uma estabilização no segundo trimestre. O segundo semestre de 2009 será crucial para determinar se os salários vão seguir tendência de queda ou se irão manter o crescimento", disse.

Os dados publicados são uma atualização do Relatório Mundial sobre os Salários, publicado em 2008 e editado a cada dois anos pela OIT. As novas estatísticas indicam que, apesar dos primeiros sinais de recuperação da economia mundial, a situação dos salários no mundo continua a se deteriorar.

Censurado: agricultura urbana

06/11/09


Após o colapso da União Soviética em 1991, foram plantados em Cuba milhares de jardins por cooperativas urbanas para reduzir e substituir o racionamento de alimentos importados. Como resultado de três furacões em 2008, que destruiram 30% das culturas agrícolas, o país voltou novamente para a agricultura urbana para incrementar a produção. Cerca de 15% dos alimentos do mundo é produzida em áreas urbanas, uma prática que deve crescer dado o aumento do preço dos alimentos, a crescente população urbana e o aumento das preocupações ambientais.

A agricultura biológica urbana floresceu em Cuba em terras não-aráveis, juntamente com os estacionamentos e os telhados nas cidades. Eles se desenvolveram a partir de um plano militar para auto-suficiência em caso de guerra e se desenvolveu como um exemplo da soberania alimentar e sustentabilidade. Os jardins têm-se revelado extremamente populares e ocupam aproximadamente 35.000 hectares (86.000 acres) de terra em toda a ilha. Jardineiros aumentam suas lavouras orgânicas e vendem seus produtos para a comunidade, imunizadas contra a volatilidade dos preços dos combustíveis e dos transportes. Em setembro de 2008, o governo começou a arrendar terras não utilizadas para os agricultores e cooperativas.

Para a população: salário mínimo. Para os bancos: lucros bilionários.

05/11/09


Quem acompanhou a crise no ano passado, deve se lembrar das quebras das instituições bancárias, a começar pelo Lehman Brothers. Mas, ao contrário do que parece, a maioria dos bancos continua a apresentar lucros líquidos na casa dos bilhões.

O Itaú-Unibanco, por exemplo. Apesar de ter demitido cerca de 6000 funcionários e extinguido 1100 funções, apresentou um lucro líquido de R$ 6,85 bilhões, de janeiro a setembro deste ano. Lucro líquido quer dizer: após pagar todos os salários, impostos, juros e rendimentos.

O Bradesco, um pouco mais “modesto”, apresentou um lucro líquido de R$ 5,83 bilhões no mesmo período. Sendo que seu valor de mercado no final de setembro totalizou R$ 98,751 bilhões.

Para quem não sabe, com menos de 50% do que arrecadam com as taxas, os bancos pagam todos os salários de seus funcionários. Ou seja, todas as remunerações poderiam ser dobradas e ainda haveria lucros desta magnitude.

A Miséria da Arquitetura

03/11/09


Um dado impressionante: no Brasil cerca de 95% das edificações não contaram com um arquiteto nas suas etapas de projeto ou construção. O resultado é que a qualidade dos edifícios é baixíssima, dado que estes apresentam, em geral, erros grosseiros e problemas crassos em quase todos os aspectos.

Entretanto, a má qualidade decorrente da ausência do arquiteto é tão generalizada que desde o cidadão comum até aquele que possui pós-doutorado (em qualquer área que não seja arquitetura, claro) não se dão conta disso. Muito pelo contrário, ambos endossam a opinião geral quando esta classifica, como "boa arquitetura" ou como um "ótimo prédio", um edifício de péssima qualidade arquitetônica, só porque ele é revestido de granito.

De modo geral, as cidades brasileiras são um aglomerado mal projetado de edificações de baixa qualidade arquitetônica. Infelizmente, em quase todas as construções, aspectos elementares e fundamentais como insolação, ventilação cruzada, inércia térmica, isolamento acústico, paisagismo e ambientação urbana são simplesmente desconsiderados.

O arquiteto, para infelicidade de todos nós, é um profissional ainda muito desvalorizado no Brasil. Apesar de imprescindível na construção das cidades, ele ainda é visto como um acessório supérfluo que tem como principal característica encarecer a obra.

Os não-arquitetos, em geral, não compreendem a arquitetura. Apesar de que pensem justamente o contrário, pois não há projeto no qual não apareça uma tia palpiteira. Quem não sabe nada de poesia brasileira, só conhece o Drummond. Do mesmo modo, quem não entende de arquitetura brasileira, só conhece o Niemeyer. E ainda diz que seus projetos não funcionam.

Na arquitetura brasileira, além de Niemeyer, destacam-se também Éolo Maia, Villanova Artigas, João Diniz, João Figueiras Lima (Lelé), Lina Bo Bardi, Sérgio Bernardes, Sidônio Porto, dentre outros. Temos ainda outro, cuja obra e ideologia não aprecio: Paulo Mendes da Rocha, que ganhou o Pritzker em 2006.

Resta lembrar as anomalias que vêm surgindo nas edificações das metrópoles brasileiras nos últimos anos:

- Espaço Gourmet (uma cozinha inutilizada que encarece os apartamentos)
- Espaço kids (um monte de brinquedos impróprios para as crianças que brincam com eles e próprios para as crianças que não tem permissão dos pais para usá-los).
-Espaço Mulher (um salão de beleza que as moradoras não usam, cheio de espelhos onde só as gordinhas passam pra se olhar depois de comer uma macarronada).
- Área de Lazer (metro quadrado não contabilizado na Taxa de Ocupação da Prefeitura, e que os empreendedores constróem para dar disgosto aos moradores dos primeiros pavimentos).
- Espaço Fitness (academia de ginástica onde as baratas fazem esteira e as aranhas enchem de teia o aparelho de abdominal).